0 comentário(s).
Em 22/06/2013 - 00:16:56

Grupo faz protesto na Faculdade de Direito da UFC

A terceira edição da Marcha das Vadias fez uma parada na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC) para protestar contra a homofobia e o machismo

Organizada pela terceira vez em Fortaleza, a Marcha das Vadias realizou protesto, ontem, na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Com os corpos pintados exibindo frases de protesto como “Machismo mata!” e “Sou minha, sou livre”, os participantes da marcha se manifestaram pacificamente contra a publicação do texto “Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ‘Casamento’ homossexual e o fim da democracia” na página oficial da Faculdade de Direito.

O artigo, cujo conteúdo gerou polêmica ao ser compartilhado nas redes sociais, foi escrito pelo professor de Hermenêutica Jurídica Glauco Barreira Magalhães Filho.

A Marcha das Vadias teve início no Centro de Humanidades da Universidade Estadual do Ceará (Uece). Após passar pela Faculdade de Direito, a marcha continuou até o Passeio Público, no Centro.

A professora de inglês Yvanna Peixoto, organizadora do evento desde 2011 em Fortaleza, afirma que a marcha pretende desconstruir a ideia de que a mulher vítima de violência sexual é corresponsável pela agressão, seja pelas roupas que usa, seja por atitudes consideradas provocativa.

“O estupro é questão de poder, não de desejo”, diz a professora. Yvanna dá como exemplo os casos de violência sexual que acontecem no Oriente Médio, mesmo com as burcas que escondem o corpo das mulheres.

Além do fim da violência contra a mulher, a marcha abordou temas como a descriminalização do aborto, a marginalização de mulheres transsexuais e o combate à homofobia.

Contexto histórico

A Marcha das Vadias é uma referência ao movimento Slutwalker, iniciado em 2011, no Canadá. O protesto foi uma resposta, à época, ao comentário de um policial da cidade de Toronto, que recomendou que um grupo de estudantes parasse de se vestir como “vadia” se não quisessem ser estupradas. A partir desse episódio, a Slutwalker se internacionalizou como um movimento feminista contra a visão de que a vítima de violência sexual é corresponsável por esse crime.

O quê

ENTENDA A NOTÍCIA

A Marcha das Vadias é uma referência ao movimento Slutwalker, iniciado em 2011, no Canadá. O protesto foi uma resposta, à época, ao comentário preconceituoso de um policial da cidade de Toronto.

Fonte: http://www.opovo.com.br/app/opovo/cotidiano/2013/05/25/noticiasjornalcotidiano,3062677/grupo-faz-protesto-na-faculdade-de-direito-da-ufc.shtml

Original de Observem

Versão de Nupes


Deixe o seu comentário




Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro.